-->
usuários online
-->

26/05/2013

Transformação parte III

Inês Silva

video

Com a chegada da Primavera surgem as flores.
Neste terceiro vídeo, a minha colega Inês Silva, optou por usar umas calças estampadas com padrão florido e uma túnica lisa, de cor atual. Da imagem faz parte um chapéu de abas largas, de cor neutra, muito útil em dias de sol e uns mocassins práticos, a condizer.
Este look, com uma simples mudança de sapatos, pode tornar-se formal, para uma ocasião que assim o exija.


Transformações parte II

Sara Calafatinho




Este é o segundo vídeo dos três. A minha colega, Sara Calafatinho, optou por utilizar as cores que estão em alta neste verão, os brancos e os azuis bebé e marinho. As calças brancas, com um top azul bebe e os sapatos de vela azul marinho é uma boa aposta para um passeio com as amigas. Os acessórios em dourado e camel dão um toque especial ao outfit. A mala às riscas é outra tendência desta estação. Para um outfit mais casual juntamos uns sapatos de salto alto cremes com um blazer estilo marinheiro azul marinho.
Uma combinação simples mas que faz toda a diferença.



Transformações parte I

Marília Gonçalves


aqui está o primeiro dos três vídeos,
 um simples jumpsuit branco que dá perfeitamente para ir lanchar com as amigas, e transformado com um blazer e uns saltos altos, pode ser usado num contexto mais clássico.. muda-se também a cor do batom, simples e clássico! 


25/05/2013

um, dois, três



Três estudantes do curso de Jornalismo, da Universidade Lusófona juntaram-se com um propósito, a moda.

Aliamos, a diversão e a amizade, e decidimos mostrar a visão de três mulheres diferentes, em video sobre como usar o mesmo look durante o dia, e modificá-lo para um momento mais clássico..

Com a ajuda de um profissional, criamos três vídeos completamente distintos, ficam só aqui estas fotografias para atiçarem a vossa curiosidade!

22/05/2013

a conversa com


Catarina Coelho estudante de Ciências de Comunicação na FLUP, e antiga blogger de moda, mostrou-se também disponível para entrar a conversa connosco e mostrar o seu ponto de vista sobre a moda e o que representa para ela. 

1-      Achas que a moda poderia ser uma projecção para o teu futuro?
 Quem sabe, é uma porta que não fecho totalmente, não digo estar directamente ligada à moda, mas sim ao mundo que a envolve.

2-      A paixão pelo mundo da moda, cresceu contigo, ou tens alguém como referência? 
Cresceu comigo, a minha família nunca ligou a moda e até estranha o facto de eu gostar. Mas por outro lado dizem que saio à minha mãe, pelos vistos ela também gostava de se arranjar e ter boas peças de roupa e jóias  mas como não teve oportunidade de me passar os seus gostos, a moda cresceu em mim enquanto brincava às Barbie’s.

3-      Como defines o teu estilo e qual é para ti a peça fundamental num look
O meu estilo está sempre a sofrer alterações. Sou muito intuitiva e uso aquilo que o meu estado de espírito pede. Uns dias ando descontraída, outros mais clássica mas sem dispensar uns bons saltos e um blazer preto. Ultimamente dou por mim a cair para o estilo minimalista e a apostar em peças totalmente brancas ou pretas, sem padrões e de tecidos leves. O que importa é eu gostar e sentir-me bem.




4-      Depois de acabares a tua licenciatura, o que tens em vista para o mercado de trabalho? Tens algum projecto, ou algum sonho que queiras realizar? 
Sinceramente adorava trabalhar na àrea de assessoria empresarial. Contudo também não deixo de parte a assessoria na área de moda, não quero é trabalhar numa empresa só de comunicação.
 Foi como disse anteriormente estar ligada a esse mundo mas não de forma directa.


5-      Quais as maiores referencias a nível nacional, e internacional no mundo da moda? 
A nível nacional gosto muito de Luis Buchinho e Os Burgueses. Internacionalmente, Balenciaga, Alexander Wang e Oscar de la Renta têm-me conquistado.


6-      Em pleno século XXI, e com o actual estado financeiro do país, achas que a moda estará a passar por uma fase menos boa? E se achas que, os jovens perdem o interesse para apostar nessa área de trabalho?  Em Portugal a moda tem vindo a crescer no mercado, o que me parece algo muito positivo independentemente da economia do país. Claro que o meio já é difícil e com a subida no mercado mais competitivo se irá tornar, mas não acho que seja por isso que as pessoas devam desistir dos seus sonhos. O elevado nível, torna as expectativas mais altas o que poderá levar a projetos muito interessantes e ao empenho total dos jovens. Pode ser uma mais valia e descoberta de talentos, basta se querer.


7-      Para ti moda é uma forma de arte.



Simpatia não lhe falta e beleza também não e sermos amigas fez com que a conversa fluísse muito melhor.. esta menina tem o seu próprio, gosto e estilo .. porque a moda é isso mesmo, sermos nós próprios!




17/05/2013

armário da vida

Faltam cinco minutos para a festa e temos que decidir o par de sapatos para usar e que ficam bem com o nosso vestido vermelho novo.. levamos os Christian Louboutin com cerca de 15cm e que vai matar os nossos pés, ou aquelas sandálias giras da Zara, que vão bem com qualquer peça de roupa?

É como tudo na vida, ou arriscamos ou não saímos do sítio. O nosso coração às vezes também gosta de se acomodar, e não aceita um novo amor, fica-se pelo porto seguro, mas que dali não leva mais nada, apenas segurança e as memórias do passado.
Temos que calçar os sapatos mais altos, e mostrar que somos capazes de enfrentar a festa toda a noite com um sorriso no rosto, mesmo que os pés já nos supliquem para ir embora. 

As memórias nunca vão sair do nosso coração, e mesmo que a nova paixão não dure para sempre, vai servir de lição para vermos que conseguimos deixar o passado para trás.
As sandálias da Zara podem ser usadas em caso de emergência, mas nunca devemos ligar as urgências da nossa alma, ela pode e vai fraquejar mil e uma vezes e somos nós que temos que controlar a recordação da felicidade que tivemos em usar o par mais bonito de sapatos que temos no nosso armário!

Resta-nos olhar bem para um e para o outro, e optarmos por aqueles que nos vão fazer mais feliz, mesmo que esses, sejam aqueles que nos façam sofrer mais, no fim pode valer a pena e se não valer?! Pegamos na caixa, guardamos os sapatos e arrumamos no nosso armário da vida. 
as maxi skirt, uma peça que veio para ficar, desde o verão passado que tenho a minha e nada melhor que ter peças e andar com elas de uns anos para os outros, a intemporalidade sempre presente.

preta, e assimétrica, fresca para estes dias que se fazem sentir agora de calor. a blusa de um padrão também actual, e que está no meu armário há mais de quatro anos, com cores fortes e uma estampado florido.. é isto que se quer nas peças do nosso armário, que apesar dos  anos que passem, continuem actuais.




13/05/2013

a conversa com

Liliana Ferreira, 22 anos e blogger, veio mostrar que uma estudante de Engenharia também gosta do mundo da moda, e têm uma visão muito própria acerca do tema. Já nos conhecemos a algum tempo e foi fácil que ela aceitasse o convite.
autora do blogue: http://www.chicreaction.com/

1-      Alguma vez pensaste que a moda seria uma projecção para o futuro?
Nunca pensei na moda como uma projecção para o futuro. No entanto, desde que me lembro que sempre gostei deste mundo, deste lado mais feminino e vaidoso digamos assim. Já em pequena tentava criar alguns modelos e desenhar à minha maneira, o blog apenas ajudou a expor este meu lado.



2-      A paixão pelo mundo da moda, cresceu contigo, ou tens alguém como referência?
Cresceu um pouco comigo e tenho a certeza que a minha mãe puxou um pouco esse lado. Saber distinguir uma seda de um algodão e quando algo está bem confeccionado ou não, vem muito dela e do que aprendi e ainda aprendo com ela. Tenho sempre algumas referências no entanto não sigo uma pessoa como referência, apenas vejo e interpreto à minha maneira.



3-      Como defines o teu estilo e qual é para ti a peça fundamental num look.
Adoro blazers e tenho uma paixão enorme por jeans por causa da versatilidade, conforto e facilidade com que se pode conjugar com outras peças. No entanto o blazer é o eleito como fundamental sendo que muitas das vezes pode ser descartado, no entanto o facto deste dar imediatamente um toque de elegância e sofisticação a alguém que o use torna-o numa das minhas peças favoritas.
Neste momento estou tentar deixar um pouco de lado o preto que até há bem pouco tempo era a cor que reinava no meu armário. Não gosto de definir muito um estilo mas acho que casual chic talvez seja o que melhor me define. 





4-      Depois de acabares a tua licenciatura, o que tens em vista para o mercado de trabalho? Tens algum projecto, ou algum sonho que queiras realizar?
Depois de acabar o meu curso, no meu caso Mestrado Integrado, tenho esperança de arranjar algo na minha área mas também tal como muitos tenho noção que não será nada fácil arranjar emprego no nosso país e por isso o estrangeiro está sempre presente como o último recurso.
 Espero ser bem sucedida profissionalmente e ter sucesso na minha área e a minha própria independência e sobretudo ser feliz. Por vezes esquecemo-nos um pouco dessa parte. No entanto acho que o bichinho” da moda estará sempre presente seja de que maneira for, na minha vida.


5-      Quais as maiores referencias a nível nacional, e internacional no mundo da moda?
Tive oportunidade de conhecer melhor o trabalho de Diogo Miranda no último Portugal Fashion e adorei e portanto a nível nacional diria Diogo Miranda e Miguel Vieira. A nível internacional gosto da linha mais minimalista de Alexander Wang e das peças mais coloridas de J. Crew. 

A nível de personalidades de referência tenho várias bloggers que nos mostram mais aquilo que podemos vestir no dia-a-dia como a Sandra dos Blasfemmes a nível nacional que acho fantástico o blog e o trabalho dela no mesmo, entre inúmeros blogs a nível internacional a Blair do Atlantic-Pacific, Olivia Palermo e o minimalismo da Cindy do Come over to the dark side we have a Candy , assim como várias personalidades do mundo da moda que nos habituamos a ver, a excentricidade da Anna Dello Russo, Christine Centenera e Miroslava Duma são alguns desses exemplos.


6-      Em pleno século XXI, e com o actual estado financeiro do país, achas que a moda estará a passar por uma fase menos boa? E se achas que, os jovens perdem o interesse para apostar nessa área de trabalho?
Talvez esteja a passar por uma fase menos boa, mas na minha opinião a situação económica pode ajudar à criatividade ou seja o facto de não ser possível ou existir menos poderá a ajudar a nascer o género de uma competição pelo que é mais criativo. 
As tendências, se olharmos para o percurso da história dependem muito da situação económica, política e social do mundo ou do país em que se vive. Por exemplo o recurso agora ao vintage que diz-se estar na moda, é nada mais que reciclar algo que já temos em casa de pais e/ou avós que são peças tem uma nova oportunidade de serem usadas porque na minha opinião as próprias tendências são uma reciclagem apenas com algumas mudanças aqui e ali. Tento ver uma parte positiva das coisas ainda que neste momento seja muito complicado.


7-      Para ti moda é …
Uma expressão de arte e da nossa personalidade.



Uma miúda inteligente que só ela, e com um estilo simples, impecável e nada extravagante. 
Gira e simpática que se farta, e mostra que a moda é aquilo que queremos que ela seja, basta termos inteligência para nos vestirmos bem. 




01/05/2013

a conversa com

Bruna Vieira, 22 anos, licenciada em Design de Moda, uma rapariga com um estilo próprio e diferente, cedeu-me uma entrevista onde mostrou os seus pontos de vista e falou do seu gosto pelo mundo da moda.. que para ela é mais uma maneira de levar a vida!
autora do, http://thenewfashionfabric.blogspot.pt/

1-      Desde quando te apercebeste que a moda seria a projecção para o teu futuro?
A moda começou a fazer parte da minha vida desde muito cedo, foi uma paixão transmitida pela minha mãe. Comecei por fazer vários desfiles e sessões fotográficas enquanto adolescente e decidi aliar essa área a minha outra paixão, a arte. Nunca tive duvidas que seria o meu futuro.


2-      A paixão pelo mundo da moda, cresceu contigo, ou tens alguém como referência?
Como disse anteriormente, dei seguimento à paixão pela moda da minha mãe. Ter alguém como referencia tão próximo de mim ajudou-me a perceber muita coisa.


3-      Como defines o teu estilo e qual é para ti a peça fundamental num look.
O meu estilo vai sofrendo alterações ao longo do tempo, em parte influenciada pelo “life style”..Mas talvez uma junção entre o minimalismo e um toque de irreverencia. A peça fundamental para mim talvez um bom casaco.

       
  

4-      Depois de acabares a tua licenciatura na ESAD, o que tens em vista para o mercado de trabalho? Tens algum projeto, ou algum sonho que queiras realizar?
De momento decidi-me pelo ramo do calçado, o sonho é lançar uma marca própria com visibilidade internacional.





5-      Quais as maiores referencias a nível nacional, e internacional no mundo da moda?
A nível nacional : Felipe Oliveira Batista, Luis Buchinho e Ricardo Dourado. Internacional : Riccardo Tisci, Alexander Wang e Raf Simon.


6-      Em pleno século XXI, e com o atual estado financeiro do país, achas que a moda estará a passar por uma fase menos boa? E se achas que, os jovens perdem o interesse para apostar nessa área de trabalho?
A moda em Portugal nunca teve uma fase brilhante, em parte, porque não é devidamente valorizada, mas  sim, com o estado financeiro atual o mercado está muito pior e a única saída é talvez a exportação. Por outro lado acho que está a haver um “boom” de jovens interessados em apostar nessa área.

7-      Para ti moda é ..
Um estilo de vida.




Bruna, a simpatia em pessoa e cheia de atitude e opinião própria.. e isso é o reflectido na sua roupa! 
Resta-nos assim esperar para calçarmos um dos seus pares de sapatos. 


26/04/2013

vestidos há muitos

Nas lojas há vestidos cor de rosa, amarelo, verde, azul, estampados cheios de riscas e bolinhas. Há variedade para todos os gostos e para todas as pessoas, só nos resta escolher. É como irmos na rua e vermos os homens que passam por nós e escolher, e esperarmos que esse nos sirva na alma, tal como a roupa nos serve no corpo. 


Vemos um vestido, experimentamos todos os números  mas ele não nos serve, a todo o custo tentamos arranjar soluções para levá-lo para casa e arranjarmos uma maneira simples de ele ficar bem no nosso corpo. Vamos mandá-lo a costureira, ou apertar aqui e ali. 
Simples, o vestido não nos vai assentar nas medidas do  corpo, tal como aquela pessoa que nós gostamos tanto, não nos assenta nas medidas do coração. 
O amarelo do vestido fascina-nos e o corte clássico era perfeito para ir a um jantar formal com o Presidente, mas ele simplesmente não combina com o formato do nosso corpo.

Ele é alto e charmoso, moreno e de olhos castanhos, preenche todos os nossos requisitos, mas não preenche o requisito mais importante, o formato do nosso coração, e coração não faz trocas nem devoluções. 


Quando o vestido não nos realça o formato do corpo a solução é deixa-lo pendurado na cruzeta, e nem pensarmos mais nele, temos que aceitar que ele não foi feito para nós. O nosso corpo é fácil de dominar, mas o nosso coração quando escolhe alguém, tende a achar que uns ajustes aqui e ali vão resolver a situação.


Na moda, a regra é a mesma para tudo na vida, se o vestido não nos fica bem de inicio, não adianta arranjar soluções para traze-lo para casa só porque saltou a vista dos nossos olhos. Há que aceitar e esperar que apareça na montra da loja um vestido mais bonito e que nos faça sentir umas princesas.
O nosso coração tem que esperar e não se encantar pelo primeiro vestido que os nossos olhos vêem, tem que entender que vestidos há muitos. 

branco no preto

Abril chegou e com ele chegou a primavera. 

Sandálias, blusas e cor são as palavras chave para os nossos looks da estação. Apesar do tempo ainda não convidar a usar estas peças, a nossa mente já só pensa em conjugações alegres, leves e frescas. 
não precisamos de muito para estarmos impecáveis, para um simples dia de primavera. 

Preto, branco, e um toque de vermelho, foram as cores escolhidas para um look confortável e simples. Nada como estarmos confortáveis, para nos sentirmos bem no dia-a-dia. Podia ter trocado os saltos altos, por umas sandálias rasas, e ficava igualmente bem. 
O objectivo foi  concentrar-me numa peça chave, e em duas cores neutras, e a partir daí dei cor ao conjunto, com as sandálias.

É este o segredo para esta estação, onde as cores chave como o amarelo, o branco, o verde vão estar presentes e depois basta completarmos o look com uns sapatos neutros, ou vice-versa. 





17/03/2013

o branco intemporal

Já fartas de Inverno, e fartas deste frio que se faz sentir, só pensamos em primavera e looks mais frescos e claro está, que já andamos a espreitar as novas colecções nas lojas, e nos deparamos com uma série de peças brancas, o branco está em todo o lado. Saias, camisas, blazers, vestidos.. 

A melhor parte disto tudo é abrir o guarda-roupa e ver que se tem uma peça de roupa full-white. Este jumpsuit é da colecção passada da Zara, é das minhas peças favoritas do meu armário! Pode ser usado durante o dia, durante a noite, com sapatos rasos e sapatos altos, basta dar largas a nossa imaginação e transformar a peça em si. Para um bom look, temos sempre que nos concentrar numa peça chave e a partir daí as coisas fluem. 

A moda é assim mesmo, é abrir o armário e deparar-mo-nos nos com peças intemporais, com peças que passados anos e anos podem ser usadas, vezes e vezes sem conta. 

O look foi básico, apenas juntei uma sandálias brancas para ficar clean, e o cabelo apanhado só ajudou a que o conjunto ficasse elegante, dada a situação. 





13/03/2013

a moda?

Um novo blogue, um novo nome, um novo conceito. 
A moda?! a moda é outra coisa, ou por assim dizer, a moda é aquilo que queremos que ela seja. A moda não é usar o atolado de tendências que as lojas lançam nas suas colecções, não é usar as peças "it", a moda adapta-se à nossa personalidade, aos nossos gostos e principalmente ao nosso conforto. 

Não precisamos de usar um monte de acessórios, e sair à rua completamente enfeitados, para estar na moda. Temos então que rever a nossa personalidade na variedade de roupa, tendências que as lojas nos oferecem e assim construir um look. Podemos usar uma peça que seja vintage com uma actual e mesmo assim estar na moda. A moda é isso mesmo, reinventar a roupa que temos em casa e adaptá-la ao tempo actual em que nos encontramos. 

Enganem-se as pessoas que acham que estar na moda é usar uns Louboutin, ou uma Louis Vitton, ou usar tachas da cabeça aos pés, não podemos pecar pela exagero e o mais importante, devemos conhecer o nosso corpo e saber o que nos fica bem. 
Conhecer o nosso corpo, sermos fieis aos nossos gostos, e termos confiança, isto sim é moda! 
Nada mais bonito que ver na rua mulheres e homens com confiança, ao invés de vermos uma pessoa enfeitada da cabeça aos pés com as peças "it" da estação.

Quem não se lembra da Carrie Bradshaw em Sexo e a Cidade e do monte roupa vintage que ela tinha no seu armário? A maneira como ela misturava o velho com o novo, o antigo com o actual, a mistura de padrões que ela fazia.. apenas realçava o look básico com uns Manolos e "estava na moda" e não precisava de ir comprar as peças "it" das lojas todas.

Resumindo, a moda é o bom senso aliado à nossa inteligência.